Histerectomia: tudo sobre a cirurgia
02/11/2015

Histerectomia: tudo sobre a cirurgia

A histerectomia é a remoção cirúrgica do útero, que também pode incluir a retirada das trompas adjacentes e do ovário.

A histerectomia é a remoção cirúrgica do útero, que também pode incluir a retirada das trompas adjacentes e do ovário. O procedimento pode ser usado como medida preventiva ou como recurso para amenizar os avanços no câncer de colo de útero.
A histerectomia pode ser utilizada no tratamento de problemas como mioma uterino, dor pélvica, sangramento uterino anormal, endometriose e prolapso uterino, que é quando o útero se move para baixo da vagina, por conta da fragilidade dos músculos do assoalho pélvico.

Tipos de histerectomia 

  • Histerectomia parcial: remoção da parte superior do útero e do colo do útero;
  • Histerectomia completa: remoção do útero, incluindo o colo do útero;
  • Histerectomia radical: remoção do útero e dos ligamentos do órgão, do colo do útero e de tecido da vagina em torno do colo do útero.

 

Como a histerectomia é feita

  • Histerectomia vaginal: quando o útero é removido através da vagina e pode ser realizada quando o órgão não apresenta variação de tamanho. O procedimento provoca menos desconforto e possibilita uma recuperação mais rápida.
  • Histerectomia laparoscópica: este procedimento pode ser realizado com a histerectomia vaginal e consiste na remoção do útero através da inserção de instrumentos inseridos através de pequenos cortes no abdômen, enquanto médico realiza o procedimento com a ajuda de uma câmera acoplada a um telescópio.
  • Histerectomia abdominal: a remoção do útero é feita através de uma incisão no abdômen. Este método é escolhido para a retirada de grandes tumores e pode causar mais desconforto, além de exige mais tempo e cuidados na recuperação da paciente.

 

Cuidados antes da histerectomia

Alguns cuidados são necessários para garantir o sucesso do procedimento:

  • Exames de sangue e urina – a paciente deve realizar exames de sangue e urina antes da cirurgia;
  • Jejum – a paciente deve ficar em jejum absoluto por algumas horas antes do procedimento;
  • Antibióticos ou laxantes – o médico poderá indicar antibióticos ou laxantes;
  • Biopsia do endométrio – Se necessário, o médico poderá solicitar uma biopsia do endométrio;
  • Outras precauções – dependendo do tipo de anestesia que será utilizada durante a cirurgia, outras precauções serão tomadas.

 

Cuidados após a histerectomia 

Após o procedimento, a paciente poderá voltar as atividades normais após um período de quatro a seis semanas. É recomendável que a paciente faça caminhadas leves um dia após a cirurgia, para evitar desenvolver coágulos sanguíneos nas pernas e para acelerar a cicatrização. A dieta pode ser normalizada logo após a cirurgia, mas a paciente não deve levantar peso por quatro semanas.

 

Possíveis complicações após a histerectomia

A histerectomia é um procedimento cirúrgico e, como tal, apresenta complicações como hemorragia e infecção, além de riscos relacionados a medicamentos usados na anestesia. Outras possíveis complicações são lesões no intestino, bexiga, ureter e infecção urinária. Febre, sangramento vaginal, dificuldade em urinar, dor, vermelhidão, e inchaço na área de cirurgia podem ser sinais de complicações. Em qualquer um desses casos, o médico deverá ser consultado.

 

Conteúdo relacionado no Mulher Consciente

 

Conteúdo externo relacionado

Referências