Entenda o câncer de colo do útero
25/06/2018

Entenda o câncer de colo do útero

O câncer de colo do útero (também conhecido por câncer cervical) é definido por um crescimento descontrolado de células da cérvice uterina. A cérvice é a parte interior estreitada do útero, tem a forma de um cone e liga o útero a vagina. Esse tipo de câncer cresce lentamente. As primeiras alterações ocorrem nas células […]

O câncer de colo do útero (também conhecido por câncer cervical) é definido por um crescimento descontrolado de células da cérvice uterina. A cérvice é a parte interior estreitada do útero, tem a forma de um cone e liga o útero a vagina. Esse tipo de câncer cresce lentamente. As primeiras alterações ocorrem nas células que revestem a parte externa ou o canal da cérvice, que são detectadas pelo Papanicolau como “células atípicas”.

No início, essas características de lesões pré-cancerosas podem ocorrer temporariamente, como resposta a uma infecção ou irritação do colo do útero. Quando evoluem, assumem características mais definitivas de lesões pré-cancerosas, com probabilidade maior de progredirem para o câncer, caso não tratadas.

Já com a detecção precoce, o câncer de colo do útero é tratável com facilidade. Se não for tratado, quase sempre é fatal. Com o tempo, dissemina-se para o resto do útero e para bexiga, reto e parede abdominal. Ao atingir os linfonodos pélvicos, se formam metástases a distância.

ATENÇÃO! VOCÊ PRECISA SABER DISSO:

O câncer de colo do útero é o tipo mais frequente em mulheres em todo o mundo, depois do câncer de mama: são quase 500 mil novos casos por ano no mundo. Esse dado é ainda mais alarmante dada a possibilidade da detecção precoce do câncer através de inúmeros exames (falaremos sobre eles a seguir) e a vacina contra o HPV (leia mais), ou seja, esse câncer é 100% prevenível. Por falta de informação e acesso a exames de diagnóstico, muitas mulheres ainda hoje enfrentam a doença e acabam descobrindo já em fase avançada. Por isso, replique a informação para as suas amigas e familiares!

Como é feito o diagnóstico?

O câncer de colo do útero pode ser diagnosticado através de exames laboratoriais e exames diagnósticos. Entenda:

Exames laboratoriais

  • Exames de triagem

O Papanicolau é o exame de triagem que permite o diagnóstico precoce de lesões pré-cancerosas e cancerosas no colo uterino e, desde sua introdução, a incidência de câncer cervical invasivo em países desenvolvidos diminuiu em até 70%. No teste, as células do colo do útero são colhidas sobre uma lâmina de vidro e recebem corantes especiais para exame microscópio.

Exames diagnósticos

  • Colposcopia

A colposcopia é o exame da cérvice banhada com uma solução e uma lente para pesquisar áreas anormais. O teste é utilizado para indicar locais que devem ser biopsiados.

  • Biópsias do colo do útero

A biópsia é feita por meio da retirada de fragmentos de tecido para exame microscópico, permitindo a identificação de áreas pré-cancerosas, cancerosas ou inflamadas.

Estágios do câncer

Se um câncer for detectado, é preciso descobrir seu estágio, o que é feito por exame microscópico de biópsias cirúrgicas e exames de imagem. Os estágios variam de 0, câncer restrito às células de revestimento da cérvice, a IVB, relativo ao câncer disseminado para outras regiões do corpo. A definição do estágio é muito importante para determinar o prognóstico e as opções de tratamento.

Tratamento

O tratamento feito depende do estágio em que se encontra a doença. Por exemplo, se estiver limitada à cérvice, o tumor pode ser removido por cirurgia ou destruído usando crioterapia ou laser. Já um câncer cervical mais invasivo precisa de cirurgia para retirar os tecidos e órgãos afetados, seguida de radioterapia para destruir células cancerosas remanescentes. Portanto conforme a situação, talvez seja necessário fazer quimioterapia em câncer em fase metastática.

Como cada tumor é um tumor, seu tratamento também é diferente entre os cânceres cervicais. É muito importante sempre conversar abertamente com seu médico sobre as suas opções de tratamento.

 

Conteúdos relacionados

Referências