Qual a relação entre a gordura abdominal e o câncer?
07/05/2018

Qual a relação entre a gordura abdominal e o câncer?

Você sabia que o excesso de peso corporal aumenta o risco de desenvolver 13 tipos de câncer? Uma avaliação realizada pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, da Organização Mundial da Saúde (OMS) concluiu que esse fator aumenta o risco do desenvolvimento dos cânceres de cólon, reto, esôfago, rim, endométrio, estômago, fígado, vesícula biliar, pâncreas, […]

Você sabia que o excesso de peso corporal aumenta o risco de desenvolver 13 tipos de câncer? Uma avaliação realizada pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, da Organização Mundial da Saúde (OMS) concluiu que esse fator aumenta o risco do desenvolvimento dos cânceres de cólon, reto, esôfago, rim, endométrio, estômago, fígado, vesícula biliar, pâncreas, tireoide, meningioma, mieloma múltiplo e mama e ovário. Isso acontece porque a gordura corporal provoca alterações hormonais e um estado inflamatório crônico que estimulam a proliferação celular e inibem a apoptose, isto é, a morte programada das células. Dessa forma, a gordura contribui para a formação dos cânceres.

Por isso, é importante realizar atividades físicas, evitando o sedentarismo, além de escolher uma alimentação rica em alimentos naturais ou minimamente processados, como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas. A atividade física proporciona equilíbrio hormonal, regula a liberação de insulina e gera controle de fatores pró-inflamatórios.

Quando se leva em consideração a faixa etária pré e pós-menopausa, o risco de ter câncer de mama aumenta consideravelmente em mulheres com excesso de gordura corporal, especialmente as que apresentam medidas aumentadas da circunferência abdominal. A gordura, especialmente na região do abdômen, é um fator importante para esse tipo de câncer.

 

Gordura abdominal aumenta o risco de câncer?

Vários estudos têm feito a associação entre sobrepeso, obesidade e mortalidade para câncer, porém apenas o excesso de peso não é necessariamente uma forma de determinar o risco de que uma pessoa desenvolva tumores. Pesquisadores apontam que a obesidade abdominal e, mais especificamente, os níveis de uma proteína chamada fator de crescimento de fibroblastos-2 podem ser melhores indicadores do risco de que as células se tornem cancerosas.

No corpo humano há duas camadas de gordura abdominal: a superior, ou gordura subcutânea, que fica logo abaixo da pele, e a camada inferior a essa, conhecida como gordura visceral e mais prejudicial. Esta última produz fibroblastos que estimulam o crescimento de tumores. Portanto, a gordura pode transformar uma célula saudável em uma cancerígena. Além disso, fala-se que a gordura acumulada no abdômen é biologicamente ativa, pois poderia liberar hormônios e alterar o metabolismo da região.

Por isso, é importante manter hábitos de vida saudáveis que trarão benefícios para a saúde.  

Confira alguns alimentos que podem auxiliar na prevenção do câncer:

  • Peixes ricos em ômegas 3 e 6
  • Cereais
  • Frutas vermelhas
  • Cenoura
  • Brócolis
  • Cogumelos
  • Romã
  • Feijão e lentilha
  • Espinafre
  • Ovos
  • Tomate
  • Azeite de oliva

Além de uma alimentação saudável e a prática regular de atividades físicas, é importante fazer sempre um acompanhamento com seu médico para saber como está sua saúde.

Referências