Estou com sintomas de câncer de ovário: e agora?
19/03/2018

Estou com sintomas de câncer de ovário: e agora?

O câncer de ovário é considerado o câncer ginecológico mais difícil de ser diagnosticado e, por isso, acaba sendo o mais perigoso. Os sintomas demoram a aparecer e podem surgir em qualquer idade, mas principalmente nas mulheres com mais de 40 anos, entretanto são, muitas vezes, erradamente diagnosticados, pois podem ser confundidos com sintomas de […]

O câncer de ovário é considerado o câncer ginecológico mais difícil de ser diagnosticado e, por isso, acaba sendo o mais perigoso. Os sintomas demoram a aparecer e podem surgir em qualquer idade, mas principalmente nas mulheres com mais de 40 anos, entretanto são, muitas vezes, erradamente diagnosticados, pois podem ser confundidos com sintomas de outras doenças menos graves, especialmente enfermidades gastrointestinais.

Se você sentir um, ou mais, dos sintomas seguintes na maioria dos dias e por um período de três semanas, converse com o seu médico:

  • Aumento do volume abdominal / inchaço contínuo (não é o inchaço casual)
  • Dificuldade de comer / sensação de plenitude
  • Dor abdominal ou pélvica
  • Necessidade urgente e frequente de urinar

Muitas mulheres sentem-se inseguras sobre como proceder antes de uma consulta com o médico que vai ser responsável por seu tratamento. Por isso, vamos trazer algumas respostas que podem te ajudar.

Se eu sentir algum sintoma, qual médico devo procurar?

Se você apresentar sintomas que indiquem o câncer de ovário, deve buscar diretamente um especialista para obter um diagnóstico exato. Se o câncer for confirmado, a pessoa mais indicada para tratá-la é o ginecologista oncológico, médico especializado no tratamento oncológico em mulheres.

 

O que eu preciso saber antes da primeira consulta com o especialista?

 

  • O conhecimento sobre os sinais e sintomas do câncer de ovário pode permitir que as mulheres recebam um diagnóstico antecipado e a doença pode ser tratada mais facilmente.
    Se você sentir, com frequência, alguns dos sintomas do câncer de ovário, é importante falar com seu médico.

 

  • Toda mulher corre o risco de ter câncer de ovário
    Diagnosticado anualmente em quase 250 mil mulheres em todo o mundo, o câncer de ovário é responsável por 140 mil óbitos por ano. É importante ter conhecimento dos sintomas, bem como dos fatores de risco e dos antecedentes familiares, tanto do lado materno quanto do paterno.

 

  • Quanto antes descoberto, maior a chance de sobrevivência.
    O conhecimento sobre os sinais e sintomas do câncer de ovário poderá permitir que as mulheres recebam um diagnóstico antecipado e que a doença seja tratada mais facilmente. Assim, 90% das mulheres tem possibilidade de sobreviver por mais de cinco anos.

 

  • O câncer de ovário é, muitas vezes, diagnosticado em fase tardia
    Isso acontece porque, normalmente, as mulheres acabam adiando o momento de procurar ajuda porque imaginam que a causa dos sintomas é a menstruação, a menopausa ou a alimentação. Em muitos casos, até os próprios médicos também suspeitam de causas menos graves, mas a frequência dos sintomas indica que o câncer de ovário deve ser considerado.

 

  • Muitas mulheres acreditam que o Papanicolau que detecta o câncer de ovário
    Não é assim. Ele detecta alterações pré-cancerosas nas células do colo do útero, cujo tratamento tem muito mais sucesso que o do câncer de ovário.

 

O que esperar do médico durante a consulta?

Após o diagnóstico da doença, o médico vai discutir com você as opções de tratamento. De acordo com o estágio da doença, as principais opções para pacientes com câncer de ovário podem ser cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia alvo. Em muitos casos, podem ser adotados mais de um tratamento ou uma combinação de técnicas. Alguns fatores podem ser decisivos na escolha do tipo de tratamento, como estado geral da saúde ou se a paciente planeja ter filhos, além de outras considerações pessoais. É importante que todas as opções de tratamento sejam discutidas com o médico, assim como seus possíveis efeitos colaterais, para ajudar que seja decidido o melhor para cada paciente.

 

Que perguntas são importantes? Confira algumas que não podem ser deixadas de lado na hora da consulta:

 

  • Qual tipo de câncer de ovário eu tenho?
  • Qual é o estadiamento da minha doença? O que isso significa?
  • Quais são as opções de tratamento disponíveis para o meu caso?
  • Quanto tempo dura o tratamento?
  • Qual tipo de cirurgia será realizado?
  • Terei que fazer quimioterapia?
  • Quais são os medicamentos quimioterápicos e como são administrados?
  • Quais são os efeitos colaterais de cada medicamento?
  • Será necessário fazer radioterapia?
  • É possível fazer quimioterapia e radioterapia ao mesmo tempo?
  • Quais são as chances de o câncer voltar?

A informação é um direito seu! Por isso, pergunte e esclareça todas as suas dúvidas!

 

Links relacionados:

Referências: