Benefícios da vacina contra o HPV para meninos
08/05/2017

Benefícios da vacina contra o HPV para meninos

O HPV é um dos vírus mais comuns e com alto nível de contágio. A maior parte da população o contrai e nunca desenvolve nenhum sintoma. Isso faz com que ele seja, quase sempre, um hospedeiro silencioso. O HPV (em inglês, Human Papilloma Virus), ou Papilomavírus Humano afeta a pele e as mucosas, principalmente lugares […]

O HPV é um dos vírus mais comuns e com alto nível de contágio. A maior parte da população o contrai e nunca desenvolve nenhum sintoma. Isso faz com que ele seja, quase sempre, um hospedeiro silencioso.

O HPV (em inglês, Human Papilloma Virus), ou Papilomavírus Humano afeta a pele e as mucosas, principalmente lugares como a boca, os órgãos genitais e o ânus. O HPV possui mais de 100 tipos, os mais nocivos são:

  • HPV tipo 6 o 11 – causam verrugas em 90% dos casos;
  • HPV tipos 16 e 18 – provocam câncer em 70% dos casos.

Em 2017, o trabalho de conscientização e vacinação no Brasil destinado às meninas passou a ser feito também para os meninos de 12 a 13 anos. Embora os homens desenvolvam menos sintomas, são os principais portadores. E a imunização pode prevenir diversos tipos de câncer, refletindo diretamente na redução dos casos, bem como nas mortes.

 

Sintomas do HPV

O principal sintoma é o aparecimento de verrugas com diferentes formas e tamanhos. Elas podem ser inofensivas, provocar coceiras e surgir na região genital, no ânus, na boca, na garganta, na língua ou na pele.

Se surgir na uretra, pode haver sangue na urina, dor e dificuldade para urinar. Na boca, pode haver sangramento e lesões. Nos olhos, causa incômodo ao piscar e alterações visuais.

O período de incubação geralmente é de três a quatro meses. Em casos mais raros, pode demorar até dois anos para se manifestar, após a infecção.

 

HPV pode levar ao desenvolvimento de câncer

Em períodos longos de incubação ou em reinfecções, o HPV pode provocar alterações celulares que têm chances de resultar em câncer no pênis, no ânus, na cervical, na orofaringe, no colo do útero, na vulva e na vagina.

 

Prevenção e tratamento do HPV

Além da vacinação e da importância de fazer exames periódicos, o uso da camisinha – inclusive no sexo oral – continua sendo uma forma importante de prevenção. Além disso, pessoas que possuem mais de um parceiro sexual também têm mais chances de contrair o vírus.

Só o médico pode indicar o melhor tratamento para o seu caso. Nunca use medicamentos sem prescrição médica. O que serve para um paciente pode não ser o mais indicado para outro.

 

Conteúdo relacionado no site Mulher Consciente

 

Referências