As consequências da quimioterapia no sistema imunológico
04/04/2016

As consequências da quimioterapia no sistema imunológico

A redução na produção de leucócitos (células brancas que fazem parte do sistema imunológico) é uma possível consequência da quimioterapia, que pode deixar o organismo do paciente mais vulnerável a infecções.

A redução na produção de leucócitos (células brancas que fazem parte do sistema imunológico) é uma possível consequência da quimioterapia, que pode deixar o organismo do paciente mais vulnerável a infecções.
Um dos efeitos colaterais dos medicamentos utilizados durante a quimioterapia é a redução da reprodução das células, o que pode causar a diminuição na produção de leucócitos. Quando o paciente apresenta uma deficiência na produção desse tipo de célula, uma pequena infecção pode rapidamente se transformar em um sério problema de saúde.

 

Cuidados para evitar infecções após quimioterapia

Algum tempo depois da conclusão do tratamento quimioterápico, o organismo tende a voltar a produzir leucócitos normalmente. O paciente e seu médico devem ficar atentos à contagem de células sanguíneas para acompanhar esse progresso.
Durante os primeiros meses após do tratamento, alguns cuidados preventivos devem ser adotados para ajudar a combater possíveis infecções:

  • Lavar as mãos – antes de cozinhar ou comer, após ir ao banheiro, assoar o nariz, espirrar, tossir ou tocar em animais. O uso de álcool gel também pode ajudar;
  • Limpar objetos ou superfícies que muitas pessoas utilizaram – como aparelhos de telefone, maçanetas e aparelhos de musculação na academia;
  • Evitar contato com pessoas doentes – isso inclui pessoas com viroses, resfriados e gripes, além de bebês ou crianças que acabaram de tomar vacinas;
  • Evitar lugares fechados e cheios de gente – como shoppings centers, supermercados;
  • Cuidados com a pele – como atenção para secar toda as partes do corpo após tomar banho e atenção a feridas ou irritações;

 

Neutropenia: consequências da quimioterapia 

A neutropenia é uma das possíveis consequências da quimioterapia. Ela acontece quando os neutrófilos (primeira linha de defesa dos leucócitos) estão em baixa quantidade, o que deixa o organismo mais predisposto a adquirir infecções.
Por apresentar poucos sintomas, a neutropenia geralmente é descoberta por exames de sangue ou por conta de uma infecção. O tratamento com antibióticos é feito somente quando há febre (maior que 38oC) e a contagem de neutrófilos está abaixo de 500. Quem tem febre deve procurar o médico imediatamente para avaliar se está com neutropenia febril e iniciar o tratamento o quanto antes.

Qualquer sinal de infecção deve ser informado ao médico, tais como:

  • Febre;
  • Sudorese ou calafrio;
  • Vermelhidão ou inchaço na área em volta do corte ou ferida;
  • Dor de garganta;
  • Tosse severa;
  • Dor abdominal, entre outros.

Vale ressaltar que os efeitos da quimioterapia são diferentes para cada paciente. E as consequências do tratamento no sistema imunológico variam conforme a quantidade e a dosagem de medicamentos utilizados em conjunto durante a quimioterapia, o tempo de duração do tratamento, a idade e o estado de saúde em geral do paciente.

 

Conteúdo relacionado no Mulher Consciente

Conteúdos relacionados

Referências